Close

26 de novembro de 2018

A Barraca Cia de Artes circula em feiras de Palmas com o espetáculo teatral, Zé, a partir da quinta-feira, 29

Poesia, música, história, cultura popular e muita energia! Um espetáculo emocionante e diferente de tudo o que você já viu. Assim promete ser o espetáculo teatral, Zé, de A Barraca Cia de Artes, que circulará em diferentes pontos da Capital de 29 de novembro a 02 de dezembro. A peça tem patrocínio da Fundação Cultural de Palmas (FCP), por meio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic), e as apresentações serão gratuitas

Na terça-feira, 27, o grupo apresenta um ensaio aberto na Escola Municipal Beatriz Rodrigues, na Arno 42 para os alunos da Educação de Jovens e Adultos, com um bate-papo com a plateia após a apresentação.

A estreia acontece na próxima quarta-feira, 28, às 20 horas, na Grande Praça do Espaço Cultural José Gomes Sobrinho, equipamento público que recebeu o nome do poeta em sua homenagem, popularmente conhecido como
Zé Gomes e, na peça, apenas Zé.

Posteriormente, o grupo circula por feiras livres da Capital com apresentação na quinta-feira, 29, na feira da Arse 112; no sábado, 1º, na feira da Praça Joaquim Maracaípe em Taquaruçu; e no domingo, 02, na Feira da Arno 33 e Feira do Bosque.

As atrizes Cleuda Milhomem, Cinthia Abreu, Iva de Oliveira, Leidiane Martins e Magna Carneiro se revezam em cena com música, dança e teatro para elucidar, através da composição cênica ator-conceito-linguagem, a visão artística de José Gomes Sobrinho. Além da linguagem de cultura popular no teatro de rua, o espetáculo traz uma proposta diferenciada até na execução musical, com instrumentos nada convencionais, como pedaços de telha, azulejo, canos, serrote, martelo, balde com água e pilão, entre outros elementos.

Espetáculo

Resgatando a linguagem mambembe, a proposta de Zé é abordar o mundo lírico do poeta José Gomes Sobrinho (in memorian), por meio de seus textos, música e principalmente pelo modo como as pessoas o viam, trazendo à tona sua visão de mundo, suas concepções a cerca da vida e de sua realidade.

A primeira montagem do espetáculo aconteceu no ano de 2014, em homenagem aos dez anos de falecimento do poeta que é referência para a cultura tocantinense. A direção do espetáculo é de Nival Correia. “Não se trata de uma referência biográfica ao José Gomes Sobrinho, mas pretendemos sim dar movimentos, expressões, cores e sentimentos à obra poética dele, tornando-a visual”, explica.

Assistente de direção do espetáculo, a atriz Magna Carneiro complementa que o espetáculo traz não só uma releitura das obras do artista com música, dança e interpretação teatral, mas também da vida particular do artista. “Mostramos ao público um Zé que todo mundo tem uma história para contar, um episódio que vivenciou, buscando estimular o público a compreender subjetivamente as concepções que norteavam o artista a cerca de suas obras e da vida”, ressalta.

Circulação

O espetáculo foi retomado neste ano pelo projeto de A Barraca Cia de Artes intitulado Zé nas Feiras, que visa circular nas principais feiras populares da Capital com foco na formação de plateia. O projeto Zé nas Feiras acontece via patrocínio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic), da Fundação Cultural de Palmas (FCP), com apoio das empresas Jorima, Kroma Vídeo e Trio Baú.

“Buscamos trabalhar o desenvolvimento artístico e cultural para o público que por muitas vezes não tem condições ir ao teatro”, conta a produtora do projeto, a atriz Cleuda Milhomem. Ela acrescenta ainda que a proposta é também trabalhar o fortalecimento da identidade da cultura regional, por meio da divulgação dos poemas e crônicas de José Gomes Sobrinho. “Zé dizia que não morria nem que o matassem e o nosso espetáculo é a prova disso, pois a vida e obra de José Gomes Sobrinho ainda estão bem vivos em nossos corações tocantinenses”, conclui.

História

A Barraca foi criada em 2002 e surgiu da necessidade de um grupo de artistas em fomentar a cultura de um modo em geral. Sempre focando a importância da arte como instrumento de transformação e integração social das diferentes camadas da sociedade, é que a Barraca busca levantar discussão referente à cultura, a arte e a educação (para a saúde, o trânsito o meio ambiente e etc), principalmente realizando trabalhos e intercâmbios entre especialistas, profissionais da arte, e sociedade. Os espetáculos e esquetes realizados pela

A Barraca Cia Experimental de Artes utiliza, em sua maioria, a linguagem de teatro de rua permitindo assim a apresentação de seus trabalhos em diversos espaços e oportunizando o acesso à cultura e a arte à sociedade em geral, principalmente às camadas com maior dificuldade de acesso aos espaços de promoção da cultura e arte em nossa cidade.

Homenageado

Nascido em 1935, em Garanhuns (PE), José Gomes Sobrinho chegou ao Tocantins em 1989. Presidente do Conselho Estadual de Cultura, José Gomes Sobrinho era acadêmico da Academia Tocantinense de Letras (ATL), ocupante da cadeira nº, 28 e da Academia Palmense de Letras, cadeira 09. Autor de 13 livros publicados, José Gomes presidia também o Fórum Nacional de Conselheiros Estaduais de Cultura.

Em 2004, o Espaço Cultural de Palmas recebeu o nome Espaço Cultural José Gomes Sobrinho em homenagem ao poeta.

Agenda

Dia 27/11 – Escola Municipal Beatriz Rodrigues, às 19h30 (ensaio aberto)

Dia 28/11 – Grande Praça do Espaço Cultural, às 20 horas

Dia 29/11 – Feira da Arse 112, às 20 horas

Dia 1º/12 – Feira da Praça Joaquim Maracaípe, às 20 horas

Dia 2/12 – Feira da Arno 33, às 11 horas

Dia 2/12 – Feira do Bosque, às 20 horas

Entrada franca

 

(Fonte: Texto- Redação FCP com informações “A Barraca”, foto: Divulgação A Barraca)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *